Com delicadeza, você se fortalece

0
896
                                                                               

Nem sempre a gente
precisa usar a força para atingir nossos objetivos. Descubra que a delicadeza
tem poderes e aprenda a exercitá-la no dia-a-dia.

O mundo invisível está sempre trabalhando a
nosso favor. Imagino, no entanto, como deve ser difícil acreditar que temos uma
força ao nosso lado. Pois este exercício que proponho agora vai ajudá-la na
busca dessa certeza. Sim, essas forças estão realmente com a gente. Vamos
lá? 

Vamos provocar estados que possam favorecer
essas forças. Nesse momento, coloque a harmonia e a tranqüilidade dentro de si.
Deixe a encrenca, a briga e as reclamações de lado. Aprenda a reivindicar, e
não a reclamar. Reclamar é não ter nenhum movimento de ação positiva para
melhorar o que se quer. Reivindicar, por outro lado, é importante, faz parte do
processo da vida, do nosso processo democrático e também espiritual e
filosófico. Vamos, portanto, criar um mundo cada vez melhor. Dentro dos limites
e das nossas condições, é claro! Mas vamos deixar as queixas de lado. 

Queixa é só arrogância, lamentação, vitimismo,
autopiedade, austeridade infundada, rigidez. Vamos sair dos bancos de juízes.
Não somos juízes de ninguém e de nada. Vamos fazer como os sábios: abrir para
tudo ver, tudo entender, sempre se dizendo “nada sei”. Para que nesse
“nada sei” abra-se a possibilidade do saber mais. 

Pare de querer controlar a sua vida e a de todos
ao redor. Isso só desgasta sua energia e cria mais frustrações, raiva e
perturbação. Compreenda que só temos o agora. Fique, então, aqui agora. Dê a
mão à vida como quem a cumprimenta e pare com essa briga, essa luta ou qualquer
outra batalha. 

Deixe seu coração repousar na crença de que há
maneiras inteligentes e melhores para você aprender o que é certo e resolver as
coisas. Você não precisa aprender pela dor, aprenda por amor. A si mesma. Ceda
a si mesma. Pare de disputar, de querer mostrar. Dê a si mesma o sossego da
liberdade de viver cada momento e, também, de poder mudar. Pare com as
promessas longínquas de que não poderá cumprir. Ponha suas metas entre
parênteses, porque a vida pode ter outros planos para você. 

Esteja pronta a mudar de rumo. Porque a certeza da
morte nos impõe isso. Mas não só a morte pode ser a grande mudança. Outras
coisas podem ser grandes mudanças. O importante é caminhar com as forças
invisíveis a nosso favor, para que elas possam nos desenvolver. Para que nosso
poder aumente, assim como nossa capacidade de criar sempre o melhor. Descanse
na aceitação de tudo e de todos. 

Jogue fora suas formas, sua moral. Serene essa
sua luta diária e essa busca incessante da paz. Porque, quando paramos de
buscar, as coisas vêm a nós. Sei que é difícil. Afinal, o desejo a domina. Mas,
quando nós abandonamos esse tipo de atividade psicológica, tudo começa a vir em
nossa direção. Cai no nosso colo. 

No mundo invisível, tudo se move de uma forma
que não sabemos como é. E, de repente, as realizações começam a se manifestar.
Parece magia, porque não enxergamos como esse fenômeno acontece. Mas um dia
enxergaremos melhor. Por isso estamos caminhando para a lucidez total. 

Vivemos em vários níveis de universos
energéticos sobrepostos, mas vamos ainda compreender que vivemos num mundo em
que nos colocamos nas situações que nós criamos. Sinta-se sempre capitã do
navio, mude seu rumo. O agora tem o poder de criar o futuro. Nós somos a
própria vida individualizada, a própria inteligência da natureza manifesta da
realidade.

Luiz Antonio Gasparetto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui